Cidade sedia congresso de saúde e espiritualidade

Proposta é apresentar a visão espírita sobre os problemas de saúde

Rodrigo Bessa

O 1° Congresso de Divinópolis (Consedi) será realizado nos dias 15, 16 e 17 de junho. O evento tem como objetivo apresentar a visão espírita sobre os problemas de saúde prevalentes nas últimas quatro décadas, com a intenção de contribuir para a compreensão do ser em sua totalidade.

O encontro será promovido no Salão de Convenções do Centro Espírita Jesus de Nazaré, localizado na Rua do Cobre, 57, Niterói, Divinópolis. Para garantir a participação, os interessados deverão preencher uma ficha e pagar uma taxa de inscrição no local do evento.


a

Evaldo Santana, um dos organizadores, disse que o congresso irá abordar vários temas sobre saúde e espiritualidade:

- Nossa intenção é atrair profissionais de vários campos da saúde em geral; educadores; estudantes universitários; espíritas e simpatizantes. Serão abordadas várias temáticas como: um novo paradigma para a saúde no século XXI, a relação entre alma ao corpo físico, a culpa, a mágoa e os micro-organismos nas gêneses das doenças, a influência do pensamento na conquista da saúde, as múltiplas faces da depressão, os fatores espirituais nas doenças cardiovasculares, os transtornos alimentares, drogas, homeopatia e espiritismo, transtorno da ansiedade, o evangelho e a saúde integral - comenta Evaldo.

Pesquisas

Eliane Zica, também responsável pela organização do evento, afirma que o congresso é importante para população ter conhecimento da dimensão espiritual corelacionados a saúde. Conforme ela ressalta, desde o 'nascimento' da medicina ocidental, com Hipócrates, a saúde é entendida como equilíbrio entre alma e corpo físico.

Segundo ela, há um aumento nas pesquisas acadêmicas sobre o tema, mostrando impacto positivo na saúde, com melhor qualidade de vida, diminuição das doenças e da gravidade delas, assim como uma melhor recuperação de processos de internação hospitalar e maior sobrevida em pessoas espiritualizadas.

Na avaliação dela, esse aumento acompanha o desejo e o interesse da população em geral, já que várias pesquisas demonstram que entre 70% e 90% dos pacientes desejam que os médicos e os profissionais de saúde abordem a espiritualidade na prática clínica, especialmente se estiverem com doenças graves. Além disso, cerca de 80% dos pacientes descrevem que as crenças espirituais e religiosas são importantes formas de lidar com a dor, as limitações e o sofrimento, e para 40% é o fator mais importante.

- Temos certeza de que a medicina do futuro será muito diferente da atual e que a espiritualidade estará cada vez mais presente na abordagem integral dos pacientes. Será um caminho longo e árduo, mas dia a dia vão se estabelecendo novas bases de uma prática clínica. Através de iniciativas como essa, estaremos contribuindo para despertar corações e consciências de médicos, acadêmicos e demais profissionais de saúde. Temos a convicção de que estamos preparando o terreno para que outros com o coração e a consciência lúcida, possam implantar o paradigma espiritual na saúde, transformando a prática clínica, trazendo de volta para a medicina o entendimento sobre espiritualidade, a fé, a esperança e o amor - conclui.

 

a

a