Pesquisa traça raio X da moda

Senai / Cetiqt estuda modelagem correta para atender consumidores brasileiros

Rodrigo Bessa

O Senai/ CETIQT realiza em várias cidades do país a pesquisa antropométrica, projeto conhecido como ''O Raio X da Moda´´, que tem como finalidade unificar a modelagem de confecções, respeitando as características regionais e, de certa forma, beneficiará a indústria do vestuário e, principalmente, o consumidor final.

Além dos benefícios comerciais, o projeto que teve início em 2009 e vem sendo realizado em várias cidades, ainda contribuirá para o traçado do perfil brasileiro, que até então é incógnito perante a miscigenação e amplitude territorial do Brasil. Esse estudo é pioneiro e contribui para o desenvolvimento social e comercial do país. A perspectiva da pesquisa antropométrica é atrair dez mil voluntários para a conclusão de uma análise completa sobre o corpo dos brasileiros.

Foto: Divulgação

a

O equipamento

O Body Scanner é um equipamento importado para a pesquisa, através da leitura corporal, capturado com exatidão das imagens e mais de 100 medidas do corpo humano. A cabine montada no corredor do shopping lembra um provador de roupas, o indivíduo se posiciona com ajuda de especialistas e o computador registra através de fotografias, e consegue fazer as medições e transmitir as informações em forma tridimensionais.

De acordo com o designer de moda e professor do Senai, Takin Rodrigues, o principal objetivo do projeto é criar uma uniformização de tamanho das roupas no Brasil.

- A ausência de padronização no setor do vestuário, além de trazer prejuízos aos confeccionistas, causa transtornos ao consumidor. Por exemplo, existem pessoas que usam tamanhos distintos de acordo com a tabela de medida adotada pela empresa onde consome. Com a concretização do projeto, a indústria e os consumidores serão favorecidos. Pois a indústria alargará o potencial de vendas e importação de seus produtos, que devem seguir normalizações, e os consumidores terão mais facilidade em encontrar produtos que são realmente condizentes a sua anatomia, sobretudo diante das tendências de consumo rápido de moda e compra via internet - expõe Takin.

Foto: Divulgação

a

Estande com cabide Body Scanner

A vendedora Laís Pereira diz que se interessou em ser voluntária da pesquisa, pois ela reconhece a importância das marcas adaptarem as modelagens das roupas.

- Todas as vezes que eu compro uma roupa, tenho que mandar consertar a peça em uma costureira, principalmente pela questão do comprimento. Esse é o principal motivo porque ainda não compro pela internet. Não confio na modelagem e não consigo comprar sem experimentar a peça - conta Laís.

O fisioterapeuta Jonathan Paulo Dias, um dos responsáveis em fazer a medição corporal dos candidatos, afirma que além de beneficiar o setor de moda, a pesquisa poderá ser usada em outras áreas.

- O foco da pesquisa é a modelagem do vestuário. Porém, acredito que no futuro, os dados coletados serão importantes, pois essa é a primeira vez teremos os resultados do perfil anatômico brasileiro - revela Jonathan.

A educadora física Fernanda Penido Giesbrecht, uma das coordenadoras do projeto, diz que a pesquisa é importante, porém ela acha difícil uma padronização da modelagem.

- O biótipo do nosso país varia muito por causa das etnias. Acho difícil padronizar por completo, mas acredito que com os resultados da pesquisa o setor confeccionista irá melhorar a modelagem dos produtos - avalia.

Imagem: Divulgação

a