Rock nacional com mix eletrônico marca a nova fase de Vinny

Cantor investe nas releituras de antigos sucessos

Rodrigo Bessa

O artista Vinícius Bonotto, o Vinny, se apresentou na Lux Lounge na última sexta-feira. Simpático, divertido e carismático, o cantor levantou o público com seu novo trabalho, uma mistura de música eletrônica com regravações do rock nacional.

Em entrevista, o artista que se formou em Direito e Psicologia antes de se dedicar à música, revelou que abandonou a burocracia dos papéis no início dos anos 1990 para se integrar ao conjunto 'Hay Kay'. Porém, foi em 1995 que começou carreira-solo e gravou o disco de estreia na Indie Records.

- Trabalhei em um banco de seguros, mas chegou um momento em que eu tinha pânico de advogados e resolvi largar tudo para me dedicar à música. Recentemente, me formei também em filosofia - revela.

Foto: Cristiane Silva

a

O segundo disco foi lançado em 1997, 'Todomundo', álbum que o projetou no mercado através da música 'Heloísa, mexe a cadeira'.

- Foi a partir desse disco que minha carreira teve repercussão nacional e, mais que isso, me levou a fazer shows em outros países. Considero-a como um fenômeno, pois foi a música brasileira mais tocada durante dois anos consecutivos - comenta.

Em alta com os adolescentes da década de 1990, Vinny foi convidado a interpretar um papel no filme 'Requebra', em que também foi responsável pela trilha sonora, compondo uma música a pedido de Marlene Matos.

- A Marlene pediu uma canção para um novo filme da Xuxa. Na época, eu estava com a música 'Requebra' pronta e então a apresentei. Essa canção deu título ao filme, além de ser a trilha oficial. Aliás, faço uma pontinha no papel de pipoqueiro - relembra.

Foto: Cristiane Silva

a

Releituras

Em 2009, o cantor realizou mais um de seus sonhos ao gravar um álbum de músicas eletrônicas intitulado 'Clássicos na Pista', com releituras de clássicos do rock nacional.

- Tenho paixão não só pelo rock, mas principalmente pela música eletrônica. A música eletrônica representa na atualidade o que o rock significou nos anos 1970. Também, o rock de hoje não é o mesmo daquela época, por questão de atitude, quebra de paradigmas, de fórmulas produzidas para rádio. Os artistas da música eletrônica são mais ousados, como eram os cantores de rock no passado. Este projeto estava na gaveta; a ideia era misturar música eletrônica com rock nacional com uma nova roupagem. Apresentei o resultado para a maioria dos 'pais' das canções, eles aprovaram e acharam muito legal. Se não fosse para colocar uma coisa diferente, trazer para outro ambiente, não teria sentido regravar - opina.

Foto: Cristiane Silva

a

Vinny encara as mudanças na indústria fonográfica com otimismo, mesmo diante das dificuldades que qualquer músico ou banda tem para fazer sucesso.

- Sou otimista com relação a música. Hoje, existem novos meios de comunicação, como a mídia eletrônica, novas formas de ganhar dinheiro, principalmente nos shows, onde temos uma resposta imediata e recebemos o cachê ao fim da apresentação. As mudanças não prejudicaram totalmente o sistema, pelo contrário, acredito que seja uma nova forma de encarar o mercado. Por outro lado, o artista atual faz seu disco em casa e o divulga na internet, onde vai encontrar pessoas que realmente gostam do que ele faz. Acredito que seja por aí: muito trabalho e muito menos glamour. Em compensação você realiza seu sonho e trabalha com aquilo que gosta de fazer - conclui.

Foto: Cristiane Silva

a